Girls’ Generation – Mr.Mr.

SNSDMrMrCover

Olá leitores! Voltei com mais um review musical, e dessa vez vamos falar do tão aguardado quarto mini-álbum do Girls’ Generation, Mr.Mr., o mais novo lançamento das meninas que, apesar de um álbum japonês, não lançava um trabalho coreano a mais de um ano.

Conceito

1920352_606536422753807_393468401_nDos pompons de Oh! aos bonés de I Got A Boy, as garotas do SNSD incorporam tantos conceitos sem extremismo, do fofo ao sexy. E foi assim que, também, compuseram a imagem de nove enfermeiras/médicas, mas dessa vez, além da sensualidade, buscaram incorporar junto elementos mais macabros. Num cenário musical onde os grupos femininos estão apostando na sensualidade, o conceito “creepy hospital”, sem dúvida, conseguiu se destacar e trazer algo inovador para o k-pop. Mas o conceito que mais se destacou não foi tão original. De terno e gravata, as garotas deram vida ao Mister, algumas vezes de forma mais elegante e feminina, outras nem tanto, inclusive abandonando o salto.

Além do conceito visual, o mini-álbum consegue unir suas faixas dentro de um espectro auditivo. Sem nenhuma mistura excêntrica, podemos identificar a presença do eletrônico e R&B, além de outras linhas musicais como hip hop e jazz, moldados numa natureza mais urbana. Claro que todas as faixas não seguem religiosamente as mesmas influências, mas, juntas, funcionaram bem e criaram um material consistente próximo ao que estamos acostumados ouvir nos trabalhos coreanos, mas, também, trouxe algumas novidades para o grupo.

 Músicas

O mini-álbum é composto por seis faixas que você pode acompanhar abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Se I Got a Boy dividiu opiniões bem antagônicas entre “bagunçada” e “genial”, Mr.Mr. foi mais democrática. Mas, se a primeira, sem dúvida, foi uma música inovadora para o grupo, a segunda não trouxe muitos elementos novos. Pelo que acompanho em fóruns, sites e redes sociais, a maioria dos SONEs gostaram, mas para muitos não superou a expectativa. Para mim não foi diferente. Na primeira vez que ouvi achei fraca, mas não abandonei o replay e a música cresceu muito aos meus ouvidos. Talvez se o MV saísse junto com a música seria mais fácil se apaixonar por ela junto com o apelo visual. As músicas eletrônicas remetem logo aos lançamentos japoneses, como Mr. Taxi e Paparazzi, mas, dessa vez, vimos um lado muito mais maduro das meninas, mais próximo de The boys, mas sem se aproximar da temática Girl Power. Assim, podemos ver que Mr. Mr. não trouxe nenhuma grande novidade ou desafio, o que não tira o potencial da faixa principal.

Hyoyeon_mrmrCom produção pessoal e exclusiva para o SNSD do The Underdogs (que já produziram Justin TimberlakeBritney Spears e Beyoncé) temos com Mr. Mr. “uma música pop com algumas influências urbanas”, segundo os próprios. Mesmo quando a batida pesada é abandonada nos pré-refrões, temos elementos sonoros espalhados por toda a música, como palmas e gritos, no segundo plano, bem colocados que enriquecem o instrumental. As alterações vocais, que geralmente me incomodam, estão bem suaves em Mr. Mr. e passaram longe do refrão deixando-o mais limpo.

Aliás, nas músicas do SNSD, os refrãos costumam ter bastante personalidade e serem bem chicletes.Mas, dessa vez, apesar dos muitos “mister mister”, não chega a ser tão grudento como é em Gee e Oh!, por exemplo. O refrão não é tão forte, mas também não precisou sustentar toda a música e, por isso, tem outras partes igualmente memoráveis. A minha preferida, por exemplo, é o pré-refrão cantado pela Jessica e depois pela Yuri.

E não podia passar sem falar do break dance, que foi um ótimo momento para desenvolver a coreografia. Adorei os “hey” serem uma voz masculina, que deram uma quebra interessante na música, onde temos, então, o auge da tal influência urbana, no caso, um híbrido do hip hop e o pop eletrônico.

O álbum segue com Goodbye, que me impressionou pelo estilo R&B e funk, já que o mais perto que as meninas chegaram disso foi no mini-álbum do TaeTiSeo. O multi-instrumental trouxe mais qualidade à produção. Destaque para todos os vocais harmoniosos e bastante agradáveis. Mesmo que cantar não seja seu forte, Hyoyeon fez das suas duas linhas no pré-refrão um das partes mais notáveis já que o estilo da música gritava por uma voz mais rouca. Os dois primeiros refrões foram cantados solos por Taeyeon e Jessica respectivamente, por isso, quando as vozes das nove se unem pela primeira vez no último refrão a música ganha mais ânimo e dá uma boa elevada. A letra sobre superação de relacionamento é interessante e a única que eu realmente achei inspiradora entre as seis faixas. Juntamente com os já elogiados instrumental e vocal, fica meu desejo por um live de Goodbye.

Jessica_MrMrO quarto mini-álbum das Girls’ Generation podia passar sem Europa pois, na minha opinião, é a mais fraca e sem potencial. A faixa parece que simplesmente serviu para preencher espaço. Não que seja tão ruim, mas tudo nela exala mediunidade. Apesar do instrumental não ser liso já que há linhas de teclado ou piano e até outros poucos sons aleatórios como vidro quebrando, a batida, no entanto, chega pelo menos a acelerar um pouco no refrão e volta a sua linha contínua. O refrão, aliás, é a parte mais interessante, com destaque para os falsetes da Jessica e da Sunny. Europa podia ser uma faixa voltada para a disco music e o europop (o nome da faixa não tem nada a ver com isso, juro!) mas acabou sendo, para mim, apenas o rascunho de uma música dançante e bem produzida.

A quarta faixa Wait a Minute é marcada, principalmente, pelos agradáveis elementos sonoros que iniciam e fecham a música, pelo refrão forte cheio de notas arrastadas e pela ótima sonoridade que sua influência no jazz proporcionou. Se gostei mais de Mr.Mr. a cada vez ouvia, a quarta faixa, no entanto,  teve o efeito contrario: acabou sendo enjoativa e repetitiva com o tempo, e minha melhor impressão foi a primeira. Isso, pois fiquei com a sensação que faltava algo a mais. Um rap seria bastante inconveniente nessa faixa, mas há uma ponte antes do último refrão onde poderia se investir em um solo melhor trabalhado do instrumental (que sofreu poucas alterações e adições) ou mesmo uma estrofe mais elaborada que exigisse mais técnica vocal. Estes poderiam ser bem úteis para quebrar a linha monótona e a fórmula repetida da canção trazendo muito mais personalidade a ela, da mesma forma que o break dance fez em Mr.Mr. Portanto, Wait a Minute é simples (o que não vejo como algo negativo), mas, mesmo não sendo tão memorável, consegue ser uma boa música.

Quase todos os álbuns e minis das garotas têm uma grande balada. Aliás, mesmo não sendo entusiasta desse tipo de arranjo musical, devo admitir que, nos últimos álbuns (principalmente os japoneses), as baladas me renderam completamente. Back Hug cumpre seu papel por ser uma canção doce e emocionante, mas não chega perto de ser apaixonante. Não tem a qualidade das outras baladas, é um pouco maçante e sua letra também não tem muito diferencial e chega a ser um pouco infantil. Apesar disso, gostei, sim, da música; o refrão é agradável e o verso “Always, you cover my heart” é interpretado com muita emoção. Só não consigo ver potencial para ser o ponto alto das baladas e comover o público num show, por exemplo. Sem exageros, Back Hug é boa, mas, também, não é a nova Complete.

snsd-mr-mr-dance

Ladies, It is time for liftoff in 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1…”

A contagem regressiva nos leva a uma velha conhecida dos SONEs: Soul, a versão coreana de Find Your Soul, lançada em mandarim em novembro do ano passado. Pra mim que já adorava a versão original, foi fácil amar Soul que é bastante energética e animada. Apesar não ser excelente, o rap da Tiffany e da Hyoyeon trouxe um diferencial para a música, não visto até então no álbum. Além disso, o rap foi combinado com as magníficas notas altas da Taeyeon. O refrão viciante e o break dance acrescentaram mais detalhes à música, mas sem deixá-la muito exagerada. Soul tem muita qualidade, e encerra o álbum com excelência e muito alto astral.

Music Video

Eis alguns fatos sobre o videoclipe de Mr.Mr.: A coreografia foi deixada em segundo plano, e pouco pode-se ver dela apenas vendo o vídeo; os closes nas integrantes não são necessariamente para mostrá-las cantando, sendo cenas mais aleatórias; e a prioridade do MV é a história envolvendo as meninas médicas e o Mister, em um cenário de “creepy hospital” cor-de-rosa que, na verdade, nem faz tanto sentido assim.

Esses pontos foram um divisor de águas entre um videoclipe bagunçado e um inusitado. Eu fico com o segundo, e já adianto meu julgamento final: o MV de Mr.Mr. é um dos melhores do grupo entre os singles coreanos.

O contraste entre o preto e branco e cores fortes (principalmente rosa, claro) foi muito bem trabalhado, assim como a fotografia, que ajuda o MV a ter esse ar macabro, que eu já comentei lá em cima.

O cenário em que as meninas aparecem em um estacionamento foi um plano meio distante do resto do MV. Provavelmente é resultado da primeira filmagem do vídeo, o que já deixa os SONEs com um bom sentimento de resgate do primeiro teaser liberado quase quatro meses antes, mas este não combinou com o conceito do vídeo, e sendo até desnecessário.

Imagem de Amostra do You Tube

Live

Apesar da SM ter chegado a negar o conceito masculino para o comeback, este compõe, por enquanto, quase todos os figurinos das apresentações de Mr.Mr, até então. Eu gosto muito deles, mas, também, anseio por uma releitura dos figurinos usados nas cenas do hospital que possam ser usado no palco ou mesmo algo mais feminino e elegante. A coreografia é focada nas formações o que também exige bastante locomoção da câmera, e que pode facilmente produzir um resultado de sucesso num grupo tão numeroso. As apresentações revelam o porquê de ter poucas cenas de dança no music vídeo. A coreografia em si é simples, e foi até meio decepcionante para a maioria dos fãs que esperavam algo mais poderoso. No entanto, a coreografia tem dois pontos que chamam muito atenção: o primeiro é o break dance da música, que é onde a dança tem seu nível mais elevado de dificuldade e, o principal, a presença de dançarinos. Enquanto boa parte da parte da música eles não participam, em outra fazem parte do primeiro plano (como o sortudo em 1:30 no vídeo abaixo). Eles têm, também, outras participações importantes, onde a coreografia emprega a interação deles com as garotas.

Mr.Mr. – Music Bank (07/03/2014)

Imagem de Amostra do You Tube

Ao lado da faixa promocional, o grupo vem promovendo Wait A Minute e Back Hug na primeira semana do comeback.

É quase inimaginável uma performance de Wait A Minute com o figurino masculino que as meninas do SNSD vem usando em Mr.Mr., já que nesta as meninas voltam com uma apresentação fofa e uma coreografia mais inocente, divergindo do conceito da faixa principal. Apesar de uma coreografia bem modesta os vocais estão ótimos, e é o ponto alto das apresentações de Wait A Minute.

Wait A Minute – Music Core (08/03/2014)

Imagem de Amostra do You Tube

Os lives de Back Hug tem muita classe, e é uma típica apresentação de balada. As meninas ficam imóveis para valorizar a música e os vocais que estão limpos e bem executados.

Back Hug – Music Bank (07/03/2014)

Imagem de Amostra do You Tube

Considerações finais

Analisando entre os mini-álbuns já lançados pelo grupo, Gee, Genie e Hoot, Mr.Mr. tem um repertório com muito mais potencial e considero o melhor mini do SNSD. Porém, comparando os singles, por mais que Mr.Mr esteja à altura das outras faixas promocionais do SNSD, ainda acho que ela fica meio ofuscada entre tantos outros sucessos do grupo.

De novo, terei que comparar esse comeback com o anterior. Uma jogada genial da SM revelando Dancing Queen, a exibição do Romantic Fantasy para comemorar com bastante nostalgia o retorno à Coreia, e uma música diferente de tudo que as garotas já fizeram num lançamento certeiro no primeiro dia do ano: esse foi o cenário da era I Got A Boy. Já o lançamento de Mr.Mr. foi marcado por duas possíveis regravações do MV, até uma guerra fria com a YG que foi levada a sério demais por muitos membros do fandom e, principalmente, os diversos atrasos e remarcações de datas. Esse contraste fez de 2014 um meio mais inóspito para receber Mr.Mr. com tanta aprovação e, por isso, esse comeback girou em torno sobre superar as expectativas. Para mim, SNSD não me surpreendeu, mas fez um ótimo trabalho e, como SONE, fiquei muito satisfeita.

final_mrmr

Sobre Camila

Estudante de engenharia que adora escrever, SONE, tenho um grupo cover, e adoro animes. Mas foi pela minha paixão por dramas asiáticos que vim parar aqui :) @milabonadio

There are 9 comments

  1. Ana

    Concordo com praticamente tudo que vc falou. Inclusive, não tinha parado para pensar em algumas coisas que como: o Mr. Mr. ser o melhor mini das meninas. Concordo muuuito com vc nesse ponto. É o único mini delas em que eu gostei de praticamente todas as músicas.
    Sobre Mr. Mr. single é como vc falou, a música é boa, mas não superou as expectativas. Eu vi muita gente se confundindo nisso.
    Minha preferida do álbum é Goodbye ♥ e a parte da Hyo… ah, perfeita.
    Mas nos lives eu tive um sentimento diferente em relação ao estilo SNSD. Embora como vc tenha dito, esse conceito de terninhos não seja algo novo, eu senti que para o SNSD foi algo novo. Os lives têm um ar diferente do comum para elas, e não apenas por causa do figurino.
    Não achei a coreografia fragmentada ruim, mas a achei fraca.
    No fim das contas, o comeback não foi ruim, foi bom até. Só não foi um destruidor de carreiras. E eu acho que em parte essa “decepção” que rolou foi pela ausência do apelo visual, devido o álbum ter vazado antes.
    Enfim é isso. Ótimo review! Gostei!
    Beijos

  2. Sun

    Gostei desse mini-álbum não achei que foi o melhor delas, sinceramente eu esperava mais, esse lançamento teve tanta expectativa que quando saiu foi: “Só isso?”. Não acho que esse MV foi o melhor delas, achei meio bagunçado, e gostaria de ter visto mais a coreografia, que foi outra coisa que se criou muita expectativa e acabou não sendo tudo isso nos lives. Gostei delas terem mudado um pouco o visual, os ternos nos lives ficaram muito bons, acho que nem precisava de dançarinos, eles mal aparecem mesmo. Gostaria de ter visto mais da Hyo, da Yuri e da Soo, elas estão muito de lado, até a Sunny cantou pouco, tirando a Jessica, isso é um álbum TaeTiSeo.

  3. Estela

    Bom, eu acho que Mr Mr deixou um pouco a desejar pra algumas pessoas por causa do tempo que levou pro Comeback e por causa do problemas e atrasos, mudança de datas, enfim. Acho que isso tudo contribuiu pra que alguns Sones se sentissem frustrados por que acabaram superestimando demais o Comeback.

    Achei que comparar Back Hug com Complete foi um pouco nada a ver por que no meu ver são músicas totalmente diferentes. Acho Complete sentimental, enquanto acho Back Hug fofa.

    Enfim, concordo com muita coisa nesse review. E também gostei muito do álbum todo, exceto por Soul, que eu não gostei em mandarim e menos em Coreano. Temos a mesmo opinião sobre Europa. Mas… Dando minha opinião, eu achei esse Comeback fraco COMPARADO aos outros mas eu amei a música, o MV e o álbum. Dizem que elas vão lançar um álbum completo ainda esse ano. E temos aqueles videos de NOW que ninguém sabe pra que que é. Enfim, agora é esperar e torcer pra que as meninas ganhem mais prêmios com Mr Mr ^^

    SNSD FIGHTING! <3

    1. Camila

      Olá Estela, obrigada pelo comentário. Quanto a minha comparação entre Complete e Back Hug acho que você entendeu errado. Eu NÃO comparei as músicas em relação aos estilo. No texto eu disse “Só não consigo ver potencial para ser o ponto alto das baladas e comover o público num show, por exemplo.” porque comparei o potencial das música. Por exemplo, o momento mais lindo da 2nd Asia Tour, foi o live de Complete que as meninas se emocionaram muito, se fosse com Back Hug, que eu achei meio “sem sal”, pra mim, seria só mais uma baladinha sem muita emoção. De outra forma não teria o menor sentido fazer essa comparação. Beijos (:

      1. Estela

        Não esquenta, entendi o que tu quis dizer. O que eu acho que não teve nada a ver foi exatamente comparar o potencial das músicas. Tipo, acho que as duas são muito diferentes e quando ouço Back Hug nem lembro Complete mas como eu disse, eu entendi o que você quis dizer sim. Aliás, é um ótimo review! ^^

  4. Luiz

    ÓTIMA reiview. O EP realmente passa longe de ser ruim, mas para mim foi extremamente desapontador, ñ q eu esperasse algo SUPER ousado do SNSD, mas fiz muitas expectativas para algo apenas okay, mediano, dentro da caixinha.
    Ruim mesmo eu achei o MV, ñ por falta de coreografia, mas por ser extremamente desorganizado, acho que não conseguiram fazer com maestria o que realmente (acredito eu) foi pensado. Isso sem falar em um problema que já é antigo no SNSD, as divisões de partes… okay que Soo, Yul, Hyo e Yoong NUNCA cantarão o mesmo que Sica, Fany ou Tae (até pq elas nem podem ser comparadas no quesito vocal), mas como muitos disseram, tá mais para TTS feat. Jessica & As Outras, o q me deixou bem decepcionado, principalmente depois de IGAB (que eu não gosto) e The Boys onde as divisões são muito boas.
    Os lives estão bons e a Tiffany calou a boca de muitos q disseram q ela não faria a bendita high note sem desafinar.
    No geral NÃO foi um lançamento ruim, mas é certamente o que eu menos gostei do SNSD… BTW, parabéns a TaeYeon <3 <3 <3

  5. Mr. Mustache

    Eu vejo muita gente reclamando que o MV não é focado na dança, mas aposto que se ele fosse, reclamariam do mesmo jeito q Eu gostei bastante dele justamente por não ser aquele típico MV caixa, rosto e dança. É um MV mais simbólico, as cenas a primeira vista parecem aleatórias, mas se tentarmos entenda-las, percebemos que elas se encaixam. Enfim, eu gostei bastante desse comeback, não foi algo Girl Power, mas foi bom. Ah, ótimo review.

  6. Vinícius

    Wow, concordei com você em tudo e no fim fiquei bem satisfeito tanto coma faixa promocional quanto como o álbum por completo.
    Até Europa, música que eu pulava por achar o início dela com um instrumental um tanto estranho, acabei gostanto no fim mas acredito eu que essa seja a “menos melhor” do mini álbum.
    Quanto ao mv tenho que ser sincero em dizer que sempre gostei dos mvs do grupo e esse não seria diferente, mas o que mais me incomoda é: “ahh a SM sempre fazendo mv em caixa”, ou “nossa elas só sabem dançar em mv”, ai vem um mv novo onde não se pode reclamar desses dois motivos, mas ai vão e criam outro. Enfim, ótima review!

Poste o seu comentário