[OPINIÃO] Saiba mais sobre o B-Pop + entrevista com produtora

bff5d074d399bdfec6071e9168398406Oi! Dessa fez eu voltei com um post sobre B-Pop que acabou de sair do forno e uma entrevista exclusiva com a STARium Entertainment e espero que gostem e se interessem!

Mas, antes de começar, quero agradecer o pessoal da STARium Entertainment por estar realizando os sonhos de muitas pessoas, que é ver o B-Pop ressurgindo aqui no nosso país. Obrigadinho!

Então já pega o seu baldinho de salgadin-gadin e bora pro post!

 B-Pop já existe, você sabia?

Tá, aí você me diz: “Ahhh, mas Gabriel, pop no Brasil não existe mais, agora tem as duplas sertanejas, o pessoal do funk, do pagode, rap, isso não é pop”. Eh…não! Haha!

Desde o início dos anos 2000 a música pop tem estado firme e forte no Brasil. Haviam vários cantores e grupos, por exemplo, Kelly Key, Wanessa Camargo, a dupla Sandy e Junior, que já não eram mais cantores mirins, tinha KLBTwister(bombou durantes anos e você não sabia), Br`oz (fez tanto sucesso que os integrantes deles são cantores super famosos e ativos até hoje, vulgo Os Travessos), Felipe DylonRougeGEM-4Menudo (sei que não são brasileiros, mas promoviam no Brasil assim como o EXO promove na China, então…sem contar que eles fizeram tanto sucesso que o grupo teve várias gerações dos anos 70 até 2007, entre elas esteve o Ricky Martin). Nos anos 80 e 90 também haviam várias boybands, as mais famosas e lembradas são Polegar e Dominó (grupo que revelou o Rodrigo Faro). Ou “sejê”, pop no Brasil já existe, só faltam artistas hehe!

B-Pop atualmente

Antes que diga que não existe, dá uma lida aqui por obséquio!

foto-fly-divulgacao-2015-w6

Fly

Atualmente há alguns cantores e grupos de música B-pop no Brasil! Mas não se engane achando que eles não são famosos, na verdade, são tão famosos que tem milhões de visualizações no YouTube e alguns estão por aí fazendo muitos shows Brasil a fora.

Pra muitos a trajetória não é fácil e nem um pouco glamurosa, mas com o tempo e com esforço as coisas se transformam, pra melhor é claro. Ultimamente muitos jovens tem criado coragem e seguido seus sonhos. A variedade é tão grande que as vezes um cantor famoso surge e você nem mesmo sabe quem é ele, é ou não é assim?

13516739_653098968182123_6900237418515113054_n

Sofia Oliveira

A pergunta que não que calar é: Como eles começam? Bem, essa resposta é bem fácil!

O Brasil possui exatamente o mesmo formato de indústria musical que os Estados Unidos. Há centenas, talvez milhares, de produtoras e gravadoras e agora temos STARium Entertainment também. Essas empresas, principalmente as produtoras, são responsáveis por produzir e divulgar músicas e artistas, por exemplo, as produtoras de duplas sertanejas de Goiás(minha terra hehe). Alguns artistas começaram postando seus vídeos cantando na internet, como a Sofia Oliveira, outros começaram a carreira como cantores e ainda no início da carreira mandaram seu material para uma produtora e tiveram uma super carreira depois, por exemplo, a banda Restart(não é exatamente pop mas serve de exemplo).

3YEAH

3YEAH

Só em Goiás, existem mais produtoras e gravadoras do que artistas, São Paulo então nem se fala. Onde eu quero chegar com essa história toda é: para aqueles que querem ser cantores no Brasil, há mais prós e facilidades do que na Coréia do Sul, por exemplo. Os artistas de K-Pop atuais passaram por audições cruéis, alguns até programas de sobrevivência, passaram depois por um período de treino cansativo e desgastante sem nem ao menos ter a certeza de quando seriam lançados e si seriam lançados por aquelas empresas, alguns chegaram a treinar por até 10 anos, outros treinaram vários anos e no final das contas nem chegaram perto da fama *_*.

Grupo de garotas novato SIS

Grupo de garotas novato SIS

No Brasil, por mais que não tenhamos esse período de treinamento, há centenas de empresas de entretenimento esperando VOCÊ lhes mandar seus vídeos cantando, seus trabalhos como banda, grupo de cantores e etc. Eu tive uma banda de rock dos meus 16 aos meus 18 anos aqui em Goiás, só não fomos para uma produtora porque decidimos seguir o caminho normal(faculdade ><). Com meu testemunho posso afirmar, há vários “olheiros” por aí esperando encontrar talentos, seja no mundo da moda, atuação, música, sempre tem. E pra você que diz que na Coreia do Sul é diferente, lá é igualzinho, só que eles tem um sistema de treinamento, só isso. Essas empresas também são responsáveis por produzir shows e eventos para seus artistas, alguns artistas tem empresários pessoais, outros preferem gerenciar a própria carreira, varia muito de cantor pra cantor.

Champs Infelizmente já deu disband! :(

Champs
Infelizmente já deu disband! :(

Agora você se pergunta: vale a pena tentar? Claro que sim! Meu pai, por exemplo, tinha uma vontade muito grande de ter uma banda de rock famosa, nos anos 80 claro hehe, ele e seus amigos formaram uma banda, chegaram a ganhar um prêmio em um dos melhores festivais de música do centro-oeste na época, sonho praticamente realizado, ele deu uma pausa e recentemente voltou com a banda.

É melhor tentar fazer aquilo que você sonha fazer no futuro, do que fazer uma faculdade qualquer e quando estiver bem velhinho lamentar não ter feito o que queria, não é verdade?

Agora você pergunta: “Mas Gabriel, que empresas são essas e como eu entro em contato com elas?”. Vou citar aqui as empresas que , se não me engano, são no Brasil as que possuem um número maior de artistas . São elas: Warner Music Group, Sony Music, SomLivre e Universal Music. Para entrar em contato com elas é bem fácil, basta mandar um e-mail, algumas tem um lugar específico para esse tipo de coisa no site, pode ir até a sede dessas empresas, o que importa é que o seu material chegue na mão desses empresários milionários haha.

No Brasil há tantos grupos covers de K-pop e J-pop…aposto que se alguns desses grupos tirasse o pé do freio e se tornassem grupos musicais de verdade as coisas ficariam diferentes. A música brasileira tem tido uma péssima qualidade ultimamente, precisamos de música boa!

4ad4c5a3a70678f18c702ed431f0a6046723b84f21de6a2db8f595bd554908f6E pra aqueles que dizem que esse tipo de música não faria sucesso no Brasil, assista esses clipes aqui por obséquio!

Entrevista com um dos representantes da STARium Entertainment

Eu entrevistei o Paulo Ricardo, um dos representantes da STARium, ele esclareceu o que é a STARium Entertainment e quais os seus objetivos e também deu uma palhinha do que está por vir aqui no Brasil! ♥

Então vamos ás perguntas!

1-O que é a STARium Entertainment, uma produtora, um projeto independente ou é apenas uma gravadora? Ela tem os moldes das empresas de entretenimento coreanas e japonesas?

R: A STARium é um projeto independente, visando o recrutamento e o lançamento de artistas, assim como as empresas coreanas e japonesas.

2-Como surgiu a STARium Entertainment?

R: Surgiu do desejo de criar algo novo, principalmente para o mercado de entretenimento no estado de Sergipe. Pessoas com idéias em mente e esse desejo em comum se uniram acreditando nesse projeto, criando a STARium.

3-Quais são seus objetivos?

R: Nosso objetivo primeiramente é alcançar o público após o primeiro lançamento de nossos artistas. Gostaríamos de entregar algo novo inspirado em artistas mundiais, principalmente coreanos, tailandeses e japoneses.

4-Vocês realizaram audições em Sergipe e aceitaram algumas pessoas como trainees, quando pretendem lança-las como cantores? Vocês irão administrar a carreira deles produzindo e distribuindo suas músicas, shows e afins?

R: O lançamento de nossos artistas ainda não está definido, mas já estamos trabalhando em conteúdos. Sim, iremos gerencia-los e produzi-los. Alguns artistas também participam da parte de produção.

5-Vocês irão fazer audições em outros estados também ou só em Sergipe? Vocês produzirão boy groups e girl groups?

R: Temos o desejo de que no futuro possamos fazer audições em outros estados também, mas por enquanto focaremos no nosso início em Sergipe. Sim, temos interesse em formações de girl groups e boy groups

6-O que vocês esperam com tudo isso? Mudar o cenário musical brasileiro? Realizar os sonhos de muitos jovens de ser cantores, que as vezes acabam desistindo por se sentirem incapazes de fazer isso no Brasil hoje em dia ou é apenas lançar artistas novos?

R: Somos ambiciosos, mas manteremos os pés no chão, sabemos que não será fácil. Esperamos poder lançar artistas e conteúdos novos conquistando etapas, uma por uma no meio do entretenimento.

7-Poderia dar uma palavrinha de incentivo para aqueles que desejam fazer parte da STARium Entertainment?

R: Gostaríamos de dizer que nunca se deve desistir de um sonho sem tentar, sei que pode parecer difícil e é, mas nossos sonhos só serão conquistados com iniciativa e esforço. Poderemos nos encontrar no futuro, obrigado pelo apoio e peço que continuem apoiando a STARium, um dia nosso artista pode ser você.

Meus agradecimentos ao Paulo por ter feito essa entrevista! frases_de_obrigado

Espero que isso seja um pitada de esperança nos corações de vocês que querem ser idols, querem fazer parte de grupos como os de k-pop e j-pop aqui no Brasil e também pra aqueles que desejam ser cantores, mas não confiam muito nas gravadoras e produtoras daqui e acabam desistindo. Fighting!

Gostou? Pois é né?!

Espero que esse post tenha sido de ajuda pra alguém! Muito obrigado por ter lido até aqui, até a próxima!

Fim!

There are 22 comments

  1. BOLOFÃ

    Eu acho engraçados esses capopeiros que acham que só a música corana presta e que o resto é uma merda.
    No Brasil tem musica boa sim, basta você procurar. Se ficar ouvindo o q a mídia expõem, nunca vai sair desse nicho, mas se procurar, vai achar musicas de qualidade e clipes bons.
    Eu não acho que esse tipo de musica (bpop em si, sejam grupos ou solistas) vá fazer sucesso no Brasil porque isso não é o tipo de musica que o brasileiro gosta. Mas eu estou torcendo para aqueles que tentarem, como foi dito ali em cima, é melhor correr atrás do sonho, do que se arrepender depois.

  2. Yasmim

    Estou muito feliz com isso,sabe,o Brasil precisa de novidades,coisas novas.
    Várias K-podres(sou kpopper) Falando que isso não vai dar certo,gente,se toca,para com essa síndrome de cachorro vira-lata que acha que só da certo na Coreia.
    Temos que apoiar nossos artistas e torce para que isso vá para frente.

  3. R

    Nada contra o post mas ‘Bpop’… pop é pra significar popular ao pé da tradução vem de popcorn pq é uma musica q estoura q nem pipoca em td lugar, e tipo se chama MPB e é bem famosa ao redor do mundo principalmente na Europa e Japão.
    Agora em relação a agencia mt legal eles se inspirarem nos moldes coreanos mas infelizmente n acredito q funcione… Champs é a prova disso. O q seria o ‘Bpop’ assim como foi colocado esta sendo Annita e Ludmila q no caso é Funk …
    Acho q seria melhor uma colaboração entre as empresas coreanas com o Brasil( Ja q as armys br chamaram bastante atenção na ultima semana e o kpop em 2016 ganhou um espaço na TV aberta) talvez o Rick Bonadio q é como o JYP do Brasil lance um grupo como o Rouge q me lembro fazia um sucesso enorme, ou numa hipótese melhor a Sm com o projeto do Nct faça Audições aqui na America do Sul.(infelizmente n estou informado de um projeto desse tipo com grupos femininos).
    Enfim td de bom para quem planeja fazer uma empresa ou planeja debutar aqui, mas gente Kondizilla ‘debuta’ mt gente e alem do Rick Bonadio q ja falei tem a Warner Music Brasil, ou pra quem tem mais condição as proprias empresas como Big 3 e a BigHit tem audições globais.
    Perdão se falei algo rude,mas foi minha opinião td de bom pra td mundo um Cheiro no cangote

    1. Gabriel Patrício

      Bem, não sei em que país você vive, mas Brasil não é não !kk
      Não sei se você leu mesmo o post, então vamos lá…
      Escrevi o post pra mostrar como é a Indústria musical brasileira, pra mostrar que é possível ser cantor aqui. Além disso, quando disse “B-Pop”, eu me referia não só a grupos, mas também a duplas e cantores solo. E “pop” aqui é diferente do resto do mundo, justamente por causa dos nossos ritmos, eles são diferentes dos ritmos do resto do mundo. Se os coreanos tem baladas, nos temos o MPB, entendeu????
      E com relação ao Champs, vou te dar uma atualizada, porque parece que você só sabe que eles montaram o Champs e…e…e acabou! Na verdade, esse grupo só não deu certo porque a empresa responsável NÃO TINHA DINHEIRO SUFICIENTE. Se a JS Entertainment tivesse dinheiro suficiente para administrar as carreiras dos garotos aqui, eles seriam super famosos hoje em dia.
      E com relação a “BIGHIT”, nos temos “1 Milhão” de empresas exatamente iguais a ela aqui no Brasil, só que essas empresas não tem o sistema de treinamento, como eu já havia dito no post. *_*
      DICA : Que tal assistir o clipe da música “Desperdiçou” da dupla Sandy & Junior?! Vai ver do que eu estava falando no post :3

      1. R

        Acho q tu n entendeu o q eu disse …
        1 morando no Chile ou em Belize n influi na minha opinião( n era pra soar rude essa frase… mas enfim)
        2 li seu post
        3 ‘Escrevi o post pra mostrar como é a Indústria musical brasileira, pra mostrar que é possível ser cantor aqui.’ achei uma frase sem nexo sua um pouco ofensiva ate… ‘-‘
        4 Champs acabou e…e…e… eu sabia disso :v a empresa ‘NÃO TINHA DINHEIRO SUFICIENTE. ‘ pq o grupo n lucrou ainda me lembro deles na Ana Maria \*/_\*/
        5 se tu for pedir pra alguém dizer q ritmo é o kpop a pessoa n sabe dizer Cheer up pra eu digo q é brega igual Djavú( é o novo kkk) tem musica de bate estaca das balada mas tem musica de sofrência como em qualquer lugar
        6 o q eu escrevi foi exatamente sobre esse sistema de treinamento das empresas q no Brasil n tem e citei as possibilidades de quem esteja atras disso aqui no Br *_*
        7 Mando um cheiro no teu cangote :3 menor q três amore.

        1. Ana

          As agências sul-coreanas até poderiam fazer audições na América do Sul, mas só seria legal para quem é descendente de asiático e olhe lá. Não se iludam pensando que alguém sem traços orientais poderia debutar fácil na Coreia, porque isso é difícil demais. É muito mais fácil para quem realmente gosta de música pop em geral, (e não somente ser um empolgado pelo modismo do Kpop) tentar acontecer aqui, apesar das dificuldades que o gênero sempre enfrentou no país de se firmar. Enfim, espero que o B-Pop possa trazer muito mais artistas e que se torne sucesso comercial, melhor ainda se tiver um pouco de estilo próprio.

  4. Samira

    Interessante esse post, acho que o Brasil nunca abraçou plenamente o Pop feito pelos próprios brasileiros, sempre o que veio de fora é o melhor e bem aceito independente de onde venha. Infelizmente, se dois artistas pertencentes ao estilo tivessem material idêntico, o estrangeiro seria o legal e o que faz música boa, já o brasileiro seria o ruim e de motivo a ter o mesmo material execrado. Aqui, não se dá espaço para que quem quer fazer música pop, possa melhorar seus trabalhos como acontece com os artistas internacionais e se manter no cenário musical, como aconteceu com o Bieber.
    Com o sucesso de Sandy&Junior nos anos 90, surgiram uma quantidade até que grande de artistas, mas que acabaram desaparecendo depois, me pergunto se isso não foi fruto também do despreparo das gravadoras no país, que deveriam sempre ter artistas novos a serem lançados para o estilo, a fim de o manter em evidência e continuar o “legado”.
    Esse texto ficou enorme, mas só queria terminar falando de Champs: eu posso estar bem errada, mas acho que faltou muito mais que dinheiro ali, todo mundo sabe que o Kpop não é nada de novo sendo uma junção do J-pop com A-pop, mas ainda se vê características próprias. O que tentou-se fazer com o Champs, foi transformá-los em uma pura e simples cópia de um grupo de K-pop, quem não conhece e não curte o gênero, deve ter torcido o nariz por achar “estranho”, como por exemplo, ouvir palavras em inglês no meio das músicas, e quem curte kpop deve ter estranhado muito também. Enfim, só espero que o b-pop possa crescer com identidade própria, pois não é uma tarefa fácil no nosso país.

  5. Angélica

    eu não tenho uma voz boa, gosto se cantar rap mas não sei fazer letras, sou apaixonada por dança, será que se eu ficar na perfomance line e na rap line (sem fazer letras) eu consigo entrar como traaine em alguma gravadora?

    1. Gabriel Patrício

      Como trainee talvez, mas só se você for muito talentosa. E tem que ser Produtora, gravadoras geralmente só servem pra gravação e distribuição. :)
      Agora, se você se esforçar e compor a própria música, você pode mandar pra uma produtora numa boa, é bem capaz de você conseguir o apoio dela. :3

    2. Gabriel Patrício

      Que tal você mesma montar um grupo com as suas amigas e tentar?
      Ou procurar na net garotas que também querem ser cantoras e formar um grupo? Os caras da banda Fly se juntaram assim! :3

    3. Bruna

      Oi, quantos anos vc tem? Eu quero a mesma coisa que vc, se vc estiver interessada em montar um girl group… agora se vc quiser carreira solo tudo bem… eu entendo ^^

  6. Caio Santos

    Achei a matéria maravilhosa, realmente o B-Pop tá voltando com tudo. Gostaria de ver uma matéria sobre o HUT-HOR, os meninos estão a cada dia conquistando o público K-Popper e estão prestes a debutar, pesquisem sobre eles, vou amar ver esses lindos por aqui. Um bjo!

  7. Victor_fx

    A proposta do artigo é boa e algo que deveria ser mais falado mas eu não sei… acho que tem muita coisa que eu não concordo, no geral acho esse negócio de ficar falando que a música brasileira atual é ruim enquanto no resto do mundo está as mil maravilhas uma baboseira, eu não vejo nenhuma diferença do nível das músicas no Brasil atual para a do resto mundo, atualmente a quantidade de músicas boas, razoáveis e ruins são as mesmas em qualquer lugar do mundo hoje em dia para mim, eu mesmo tenho gostado mais dessa nova onda de mulheres no sertanejo do que esses novos grupos que estão aparecendo no KPop.
    Como disseram no post acima no Brasil nunca ouve realmente um grande espaço e trabalho feito para o pop embora tenha um bom público mas da para se contar no dedo a quantidade de artistas pop que apareceram na historia do Brasil mais fácil ainda é conta os que conseguiram sair do eixo fã-clube – público para o ‘povo’ eu mesmo presenciei o sucesso do Rouge (que foi o primeiro artista que eu fui fã e sou até hoje ainda tenho até os CDs) e da Kelly Key lembro que todo mundo que eu conhecia sabiam quem eram e as músicas (mesmos os que não ouviam) e fora que tocavam em tudo quanto é canto, lembro também de Sandy & Júnior e KLB mas não era a mesma coisa elas não “agitavam” tando o pessoal.
    Eu não concordo que desde os anos 2000 a música pop esteja firme e forte no Brasil a última música pop que eu lembro que fez sucesso no Brasil foi ‘Sou a Barbie Girl’ da Kelly Key depois disso a música pop praticamente entrou em coma que de vez em quando dava algum sinail de vida, nesse período quase todo o espaço do pop foi ocupado por artistas americanos principalmente os de hip-hop já que os de pop estavam bem ausentes, até os gêneros de música eletrônica estavam ganhando espaço nesse meio mas foi nessa época que esses gêneros começaram a sumir e tudo mundo começou a ficar Pop-Eletrônico e ficando restrito ao público do pop mesmo.
    O pop brasileiro só foi acordar remodulado em 2012 com a Anitta, Ludmilla e o Naldo ai surgiram outros artistas e outros seguindo o estilo como Valesca, Biel, Lexa, Dennis DJ e etc… Esse BPop que se considera atual aos models do internacional não vejo isso mais tendo relevância no Brasil como poderia ter antes, para um artista conseguir fazer isso ele teria que ser um verdadeiro ídolo mas não desses ídolos receita de bolo de grupos de kPop e JPop e sim um como o que a Ayumi Hamasaki era lá pelos anos 2000 e a Jolin Tsai que poderia quebrar as barreiras e atingir o grande publico, o que musicalmente vindo da Ásia que eu vejo que conseguira fazer sucesso no Brasil com o devido trabalho seria algo tipo o do SNSD de ITNW-Genie-atualmente, Hyuna, Namie Amuro, o pessoal do EXILE (Sandaime J Soul Brothers, Exile Tribe, Generations from Exile Tribe) e talvez o Perfume.
    Sobre essa parte de treinamento não acho que isso seja um grande fator para um artista conseguir sucesso mas apenas algo que possa ajudá-lo a ter um desempenho de performance melhor.
    Acho que era isso mais ou menos que eu queria falar sobre esse assunto, eu desteto escrever textões mas era algo que faz tempo que eu queria falar.

    1. Gabriel Patrício

      Vitor, então, eu afirmo novamente que a música pop está firme e forte no Brasil, mas assim como você disse, ela foi se remodulando e é essa a minha crítica. Compara a música pop brasileira de 10 anos atrás com a de hoje! Em relação com o que você disse: “no geral acho esse negócio de ficar falando que a música brasileira atual é ruim enquanto no resto do mundo está as mil maravilhas uma baboseira, eu não vejo nenhuma diferença do nível das músicas no Brasil atual para a do resto mundo”, eu acho que a música pop em geral tá caindo aos pedaços lá fora também, mas ainda, Graças a Deus, existem artistas com bom senso, como por exemplo o Bruno Mars.
      Virou moda usar base de ragaton nas músicas e isso era legal no começo, depois ficou chato e ruim, aí essa moda grudou no kpop também, mas felizmente já está desgrudando.
      Além disso, você não conhece nenhuma música pop de sucesso depois de ‘Sou a Barbie Girl’ da Kelly Key porque você, ou não se lembra, ou tava vivendo em um mundo paralelo, porque desde aquela época já passaram pelo indústria musical dezenas de cantores e bandas de música pop famosos. Lembra da Wanessa? P9? Restart? Cine?, não vou nem citar mais nenhum porque não quero fazer textão kkk
      Mas ainda sim, muito obrigado pela sua crítica, acho que muitas pessoas pensam assim também. :)

      1. Victor_fx

        rsrsrs… Eu não vivo em um mundo paralelo isso eu tenho certeza mas enfim como pop sempre foi meu gênero favorito eu sempre procuro ficar por dentro das coisas que estão acontecendo, eu praticamente posso dizer que sempre fico sabendo das coisas antes de todo mundo. Isso que você falou eu até poderia ter escrito mas ia deixar o textão ainda maior preferi resumir isso tudo quando disse que “de vez em quando dava algum sinal de vida” porque para mim foi isso que aconteceu, o Restart por exemplo era mais conhecido por ser falado do que pelo seu trabalho já que na maioria das vezes as pessoas queriam apenas debochar deles, a Wanessa é um bom exemplo do que eu disse sobre ficar no eixo fã – público e mesmo o P9 que teve um bom espaço para ser divulgado como fazer parte da trilha de novela da Globo e até de filme de super herói não saiu do limbo a mesma coisa foi Gilrs que tinha a produção do Rick Bonadio.
        Quando eu digo “fazer sucesso” eu levo em consideração as coisas que eu vejo e convivo por aí, as vezes eu vejo as pessoas dizendo que certo artista está fazendo muito sucesso e que todo mundo conhece (no caso; grande partes das pessoas) mas na verdade eu acabo não vendo nada disso.

  8. Lauren

    Estudei em conservatório de música (piano e canto) desde meus sete anos de idade. Então vamos dizer assim, que estou na parte técnica desde muito cedo.
    Analisando o Kpop, tirando fandom, artista tal, voz de ciclano, imagem de beltrano, ….
    O que eu adoro nas músicas asiáticas:
    – É a combinação de sons aleatórios que fazem um hit.
    No BR é uma bateria+baixo+guitarra+canto= 99% das músicas são assim. Uma vez ou outra colocam um violino, um piano, uma batida diferente e já consideram ‘revolução’. É muito pobre, não tem criatividade, é uma preguiça mental.
    – As letras, principalmente quando usam frases típicas da cultura deles: … se a minha luz não foi capaz de chamar seus olhos…, se você é atraído somente por cores extravagantes…, sou simples por ser 3D…
    No BR geralmente não tem mensagem, quando passa alguma informação na letra é mais do mesmo, entretanto já é considerado uma revolução. Muitas vezes quando escuto uma música muito ruim fico pensando nos compositores. Eles devem ser muito frustados de não usarem seus conhecimentos nas canções.
    As músicas brasileiras consideradas boas, que tocam no mundo inteiro não são de agora, mas dos anos 20, 30, 40, 50 até uns 60 e poucos (samba+mpb=novo som+lígua portuguesa). Rock dos anos seguintes foi letra, e letra só faz sucesso onde as pessoas entendem a língua porque o som dessa época não foi nada distinto do resto do mundo.

    1. Vivi

      Desculpe, mas eu não vejo onde as pessoas consideram “uma revolução”, quando uma canção “passa alguma informação”. Até porque grande parte dos brasileiros não estão interessados em boas letras e sim apenas na melodia. E esse jeito ruim de ouvir músicas, já está instalado a muito tempo no país a meu ver. Vide como o funk carioca conseguiu se alastrar no país.

Poste o seu comentário